O que seu cão faz quando está sozinho?

O que seu cão faz quando está sozinho?

Estudos demonstram o que se passa na cabeça dos nossos animais de estimação.

Comprovadamente os golfinhos sabem que são golfinhos. Um elefante sabe que é um elefante, pode acreditar nisso! Um cachorro sabe que é… gente. Bem pouco tempo atrás, cientistas não admitiam essa afirmação. Tínhamos a divisão clara entre “animais” e “humanos” – como se pudéssemos igualar a baleia mais com uma ameba do que com o próprio homem. Mas as coisas mudaram.

Atualmente temos que as faculdades mentais entre homem e animal estão em níveis de grau, não de seu tipo.

Podemos utilizar uma comparação, um tanto grosseira, mas seria como aproximarmos um porsche e um fusca: claramente temos a diferença estampada de seus níveis, mas ambos são automóveis.

Charles Darwin já, em sua época, dava claras evidências de como a ciência veria os animais. E hoje está confirmado que Darwin estava certo. “Todas as evidências de hoje indicam que muitos animais sentem tristeza, alegria, dó…”, diz o biólogo Marc Bekoff, da Universidade do Colorado.

Obviamente que temos limitações nas pesquisas. Ainda não existe um software que entre nas cabeças dos animais para mostrar exatamente como enxergam o mundo. Mas já é possível chegar bem próximo a isso.

Isso você não sabia…

Os pelicanos voam numa formação em “V” sem compreender o por que, mas dessa forma estão economizando energia. Facilitam também a comunicação do banco com seu líder. As cobras, por sua vez não tem consciência de que enganam seus predadores somente se fingindo de morta. Então, está comprovado que isso é obra da seleção. Chamamos de instinto cego, “a obra da natureza”.
Comportamento do cachorro
Agora, vamos fazer um comparativo sobre como funciona a inteligência de um animal. Para nós humanos, uma rosa é uma flor, bela e que nos remete ao romantismo. Para um cachorro ela não é nada, a não ser que ela contenha um xixi de outro animal ou tenha sido tocada pelo seu dono. Somente desta forma a rosa terá um sentido associando muitos significados.

A psicóloga americana Alexandra Horowitz, especialista em comportamento animal afirma: “Enquanto somos seres visuais, os cães sentem a realidade com o focinho”.

Quando sentimos o aroma de um café, por exemplo, ao cheirar de perto, algumas pessoas conseguem distinguir que fora adoçado com uma colher de açúcar. Agora o cão da raça beagle tem um poderoso faro. Consegue farejar uma colher de açúcar diluída numa quantidade de café equivalente a duas piscinas olímpicas, acredite!

Assim, o que queremos demonstrar é que o universo desses animais, o cão, é formado por estratos de cheiros diferentes. Este super faro, seu nariz, lhe dá o poder de um super detetive. Com os odores que exalamos e às células epiteliais que deixamos pelo caminho, o cão é capaz de saber tudo sobre você. Informações como: por onde andou, que coisas pegou, o que comeu e até mesmo se correu um pouco.

O olfato do cão é tão poderoso que pode até rastrear doenças em humanos. Como descoberto por uma pesquisa recente da Universidade Kyushi, no Japão. Um labrador Marine, de 8 anos, detectou câncer de intestino ao cheirar o hálito e as fezes de alguns pacientes. Tumores de pele, pulmão e bexiga também já foram farejados por cães.

As emoções

Agora falando de suas emoções, os cães são uma espécie que evoluiu além do uma subespécie de lobos. Emocionalmente falando, o cachorro está mais para um pequeno humano de quatro patas. Sempre na alegria e na tristeza. Alguns animais recusam sua comida quando estão sozinhos, especialmente quando o dono sai para uma viagem. Retornam aos bons hábitos quando sentem a presença do seu humano novamente. Experimente falar um pouco ao telefone com seu cachorro. Ele vai saber que é você e ficará louco.
Comportamento do cachorro

Como seu cão se sente quando você sai de casa?

Claro que você já percebe que nossos animais parecem estar sofrendo quando ficam sós em casa. É isso é verdade! Estudos realizados por uma equipe de comportamento canino do abrigo de cães e gatos Bettersea no Reino Unido, comprovaram isso. Os animais tem alteração em seu batimento cardíaco e sua respiração fica acelerada e há grande liberação de hormônios do estresse – o cortisol.

“O período mais estressante para os animais, na sua maioria é a primeira meia hora sem os donos. Porém, em outros cães este elevado nível de estresse poderá durar o tempo em que estão sozinhos. Cães são extremamente sociais, então é muito difícil saber com clareza o que estão pensando quando ficam sós”, complementam a equipe.

Então, qual a melhor maneira de evitar que meu cão se estresse tanto?

Estudos feitos em abrigo de cães , apontam que, a melhor época para você ensinar seu cão, que ficar sozinho não e o fim do mundo é quando eles são ainda filhotes. “Durante o período crítico de socialização dos filhotes, ao redor da terceira e décima quarta semana de vida, todos os animais conseguem aprender que não tem problema algum, em ficarem sozinhos”, diz orientação da CBWT.

Experimente deixar uma caixa com brinquedos e objetos que podem ser descartados depois nesse período inicial (filhotes). Nos primeiros momentos , não é recomendado deixar o filhote por mais de vinte a 30 minutos só. Quando os donos retornarem à casa, deve-se recolher a caixa e todos os itens dentro para que o cão entenda que ele só terá novamente aquela caixa se o seu dono não estiver em casa.

Você sabia então que seu cãozinho sentia tanto sua falta assim?

Siga-nos no Facebook: Vida de Matuto

Compartilhe esta informação 😉

Envie seu comentário